Giselle Sato
A inspiração é o encontro perfeito das palavras e a imaginação. Aventure-se.
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Textos


Há algum tempo escutei que eu tinha um ‘’Sjogrenzinho’’, se é que alguém pode ter uma doença autoimune ''simplesinha'', na época acreditei e fui levando. 

Quando o Sjogren perdeu o diminutivo e mostrou a garras afiadas, foi uma correria de exames e incertezas.Ele até hoje exibe algumas unhas, claro que troquei de médico e estamos vigiando bem de perto. 
As autoimunes são traiçoeiras, o que a gente não enxerga acha que não existe.Enquanto isso elas atacam órgãos internos, silenciosamente.

Meu despertar coincide com o término do efeito do medicamento para a dor, bebo um copo de água e engulo o primeiro comprimido que precisa ser em jejum.Volto a deitar porque quase sempre ainda é madrugada, mais tarde encaro o segundo tempo de remédios com o café da manhã . Na hora do almoço mais alguns comprimidos, lanche outros e os últimos após o jantar. Parece muito, e é bastante coisa, já houve um tempo em que resolvi parar tudo e tentar outras alternativas, não deu certo.

Assim como as dores, conviver bem com os medicamentos e fazer os tratamentos corretamente não é fácil.Encarar exames periódicos, exames de rotina, a visita anual aos especialistas, as terapias semanais e manter uma atitude alto astral e positiva é um grande desafio. 
E os desafios instigam a seguir adiante.
GiselleSato
Enviado por GiselleSato em 11/10/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários

A Pequena Bailarina
Assassinos S/A II
BECO DO CRIME
Meninas Malvadas
POETRIX
Trilhas da imensidão- Contos de Terro...
Site do Escritor criado por Recanto das Letras